Cirurgia da ObesidadeDr. Luiz Alberto de Carli - Cirurgia da Obesidade

Calcule seu IMC

Para calcular seu IMC informe:

Peso: e Altura:

Grupo de WhatsApp

WhatsAppFaça parte do Grupo de WhatsApp dos pacientes
do Dr. De Carli.

Entre em contato com a coordenação do grupo e solicite sua inclusão:
  • Psic. Ana Paula Fontanari
    (51) 998 666 753
  • Adriana Duarte
    (51) 991 692 949
  • Alex Carvalho
    (51) 991 942 299
  • Aline
    (51) 997 531 885
  • Francisco Regis
    (51) 992 447 366
  • Maria Teresa Galvão Neves
    (53) 999 746 777

Balão Intragástrico

É um balão de silicone colocado por Endoscopia Digestiva Alta dentro do estômago, e preenchido com aproximadamente 600 ml de Azul de Metileno. O balão permanece no estômago por um período de, no máximo, seis meses. Faz com que o paciente coma volumes menores, sentindo-se saciado e emagrecendo sem sentir fome.

Vantagens:
    Procedimento ambulatorial. O paciente permanece na Sala de Endoscopia por aproximadamente duas horas até passar o efeito da sedação anestésica – logo após, retorna a seu domicílio. Depois de seis meses, retira o balão através do mesmo procedimento. Não é cirurgia.
Desvantagens:
    A adaptação do paciente nos primeiros dias (três a sete) pode vir acompanhada de náuseas, vômitos e dor abdominal, sendo necessário tratamento adequado pelo médico assistente. Depois desse período, o paciente fica por seis meses totalmente assintomático.
Complicações:
    Em raras ocasiões pode haver migração do balão para o intestino delgado, causando obstrução intestinal. Para evitar isso, o balão é preenchido com Azul de Metileno – assim, eventual vazamento será percebido nas fezes ou na urina do paciente. Tão logo se percebe o problema, o médico assistente deverá remover ou substituir o balão. O fabricante garante o produto.
Resultados:
    Ótimos resultados para perdas de peso menores (de 15 a 20 kg) associadas à mudança de hábitos alimentares e à prática de exercícios físicos.

Orientações ao Paciente

O objetivo do tratamento com balão intragástrico é oferecer ao paciente a sensação de saciedade precoce, de maneira que a dieta proposta possa ser seguida com facilidade.

Para se qualificar ao tratamento, o paciente deve ter, inicialmente, mais de 45kg acima do peso ideal, ou índice de massa corporal (BMI) de 35 ou mais (o BMI significa o peso em quilos dividido pela estatura em metros elevada ao quadrado). Ainda, o paciente indicado, seja por indisposição pessoal, seja por incompatibilidade médica, é aquele para o qual a cirurgia está descartada. Outras condições ao tratamento: índice de massa corporal menor que 35, ineficácia de tratamentos clínicos prévios para emagrecimento, doenças associadas ao excesso de peso ou causadas pelas medicações utilizadas no tratamento clínico.

O êxito na perda de peso não depende unicamente do método: o paciente deve ser acompanhado, durante o tratamento, por nutricionista, psicólogo, endocrinologista ou qualquer outro especialista que o Dr. De Carli julgar necessário. Além disso, o paciente deve regressar ao consultório médico de acordo com o cronograma estipulado pelos profissionais, para que, após a remoção do balão, o tratamento seja corretamente finalizado.

Antes de iniciar o tratamento, o paciente deve realizar uma avaliação psicológica, nutricional e clínica. Serão realizados os exames de sangue e endoscopia digestiva alta, a qual avaliará as condições anatômicas do estômago.

Descrição do Sistema BIG

O BIG é uma prótese esférica de silicone, a qual em seu estado inicial se encontra presa em um fio invólucro de silicone, assumindo formato cilíndrico de aproximadamente 45fr de diâmetro e 10 cm de comprimento. Em sua extremidade proximal, há uma válvula conectada a uma sonda tubular de silicone (16fr de diâmetro e 50 cm de comprimento), por onde será realizada a insuflação do balão. A capacidade do balão fica entre 400 e 600 mililitros.

Colocação:
  1. O BIG deve ser colocado em regime ambulatorial ou hospitalar – dia.
  2. O posicionamento deve ser feito sob sedação profunda ou anestesia geral superficial, a critério do médico anestesiologista. Monitoração cardíaca e oximetria são obrigatórias.
  3. Introdução do balão vazio via oral até seu posicionamento na cavidade gástrica.
  4. Injeção de 500 mililitros (400-600 mililitros) de solução salina isotônica a 0,9 % com 5 mililitros de azul de metileno.
  5. Terminada a insuflação, realiza-se manobra de fechamento da válvula do balão.
  6. Tração cefálica da sonda de insuflação, lentamente, até a liberação do balão dentro da cavidade gástrica.
  7. Aferição do posicionamento correto do balão através de endoscopia.
  8. Liberação do paciente duas horas após a colocação.
  9. Tempo de permanência média do BIG é de quatro meses (máximo seis meses).

Retirada:
  1. A retirada deve ser realizada sob sedação profunda, por médico anestesiologista, e devidamente monitorada.
  2. Após o paciente sedado, deve-se proceder a endoscopia digestiva e posicionamento do balão no fundo gástrico.
  3. Com o aparelho de endoscopia em retroversão, realiza-se a perfuração do BIG com agulha de esclerose, a qual deve ser introduzida alguns centímetros dentro do balão. Recolher a agulha e iniciar a aspiração do líquido com controle do volume aspirado. O balão deve estar totalmente vazio para ser retirado.
  4. Após esvaziamento completo, o balão deve ser capturado com “pinça de corpo estranho” na face contra-lateral à válvula.
  5. A retirada deve ser lenta e gradual, mantendo o balão junto à ponta do endoscópio.
  6. Após a retirada, o paciente deve ficar em observação por duas horas, sendo liberado em seguida.
Possíveis Riscos e Mal-Estar:
    Qualquer procedimento médico implica riscos. Existem riscos quando uma pessoa recebe uma sedação profunda, e esses riscos são maiores se a pessoa é, consideravelmente, obesa. Ainda que menos provável, pode haver complicação resultante da presença de um corpo estranho no organismo do paciente. Todo equipamento de suporte e cuidados para evitar qualquer complicação estarão à disposição do médico.
Complicações:
  • Desinsuflação do balão, seguido de sua expulsão pela via natural ou obstrução intestinal – 1 % a 8 % dos casos
  • Meteorismo – 8%
  • Náusea e dor persistente (por mais de duas semanas após o posicionamento) – 3%
  • Úlcera de decúbito – 1 %
  • Úlcera péptica – 1%
    Se detectar coloração azul na urina ou nas fezes, o paciente deve comunicar imediatamente ao Dr. De Carli para que o balão seja retirado. A mudança de coloração ocorre devido a presença de azul de metileno misturado à solução salina utilizada na insuflação.

    Para que o tratamento tenha resultado, é fundamental seguir a orientação nutricional e o suporte psicológico, além de realizar exercícios físicos. Existe a possibilidade de que a perda de peso planejada anteriormente ao tratamento não seja confirmada – por isso, a colaboração do paciente é muito importante durante o processo.

    Aconselha-se utilização de método contraceptivo durante o período de tratamento, pois o efeito da rápida perda de peso sobre o feto é imprevisível. Nos casos em que a gravidez é confirmada, a paciente deve comunicar ao médico, para que o balão seja removido.
Possíveis Benefícios:
    A perda de peso melhora a saúde em geral, contribui para a qualidade de vida e prolonga a expectativa de vida do paciente. O BIG é um método alternativo ao uso de drogas e não exige afastamento das atividades rotineiras, tanto profissionais quanto esportivas. Pode ser interrompido a qualquer momento e, se houver necessidade, pode ser repetido, sem restrições.

Técnica de Colocação do Balão Intragástrico

O paciente é submetido à mesma sedação de uma endoscopia digestiva. O médico anestesiologista monitoriza a função cardíaca e respiratória, de modo que o paciente tenha conforto e segurança durante o procedimento de colocação do balão.

Dr. Luiz De Carli - Colocação de Balão Intragástrico Dr. Luiz De Carli - Colocação de Balão Intragástrico Dr. Luiz De Carli - Colocação de Balão Intragástrico Dr. Luiz De Carli - Colocação de Balão Intragástrico
Introduzido por via oral até atingir a posição ideal... em seguida o BIG é insuflado... faz-se a retirada da sonda e o balão fica posicionado no fundo gástrico. O BIG flutua livremente no estômago.

Orientações Pré e Pós-Colocação do BIG

Dieta líquida nos três dias anteriores à colocação do balão intragástrico.

No dia anterior à colocação do balão intragástrico:
  • Jejum de sólidos por 12 horas.
  • Jejum de líquidos por oito horas.
No dia da colocação do balão intragástrico:
  • Chegar à clinica ou ao hospital uma hora antes do horário do procedimento.
Após a colocação:
  • Dieta líquida por 10 dias.
  • Líquidos claros nos primeiros cinco dias ou até cessarem náuseas e vômitos.
  • Líquida completa somente após cessarem náuseas e vômitos.
  • Dieta branda conforme orientação da nutricionista.
Medicações:
  • Usar três medicações fixas no mesmo dia da colocação do balão (após estar bem acordado):
  • Omeprazol 20 mg: 1 cp/ dia, durante seis meses
  • Buscopan composto: 1 cp de 6/6 horas, fixo por três dias
  • Vonau SL: aplicar Sub-lingual 8/8 h, fixo por três dias
  • Plasil: 1 cp de 6/6 horas se náuseas e vômitos não cederem e/ou
  • Dramin: 1 cp de 8/8 horas se náuseas e vômitos não cederem

Gostaria de mais informações?

Participe das reuniões abertas ao público entre os pacientes operados e em pré-operatório e seus familiares onde são apresentadas palestras sobre a cirurgia da obesidade pelos membros da equipe multidisciplinar.

A próxima reunião será no dia 20 de novembro de 2019, às 19h.
Anfiteatro da Oncologia do Centro Clínico do Hospital Moinhos de Vento, Rua Tiradentes, 333 - 2º Andar - Fone (51) 3314 3434

Se preferir você pode marcar uma consulta com o Cirurgião e Coordenador do Grupo, Dr. Luiz Alberto De Carli.

Após a primeira avaliação, o paciente será orientado quanto a necessidade de cirurgia e tipos de cirurgia adequados ao caso, também será encaminhado para consultas com a equipe multidisciplinar e para a realização dos exames pré-operatórios.